Páginas

Wednesday, December 9, 2009

Capítulo I "A Yoga da desilusão ou Arjuna Vishada" versos 13,14,15 e 16 ( parte 1)

Bhagavad Gita in the light of Kriya Yoga (Paramahamsa Hariharananda Giri)

Foreword by Sri Sadguru Paramahamsa Prajnãnãnanda Giri
Capítulo I "A Yoga da desilusão ou Arjuna Vishada"
Verso 13:

tatah sámkhas ca bheryas ca
panavãnakagomukhãh
sahasai 'vã'bhyahnyanta
sasabdas tumulo 'bhavat

Then many others blew a variety of conch shells,trumpets,and tabors,beat on ketlle drums and large military drumbs,and blared forth on cow horns,which gave rise to a tremendous sound. (01:13)


Então muitos outros explodiram uma variedade de sons: de conchas, trombetas , bater em panelas e tambores grandes, tambores militares, bradou diante deles os chifres de vaca, que deu origem a um som tremendo. (01:13)
Verso 14:




Tatah svetair hayair yukte
Mahati syandane sthitau
Mãdhavah pandavas cai ‘va
Divyau sankhau pradadhamatuh

Then the Lord Krishna and Arjuna, seated on their excellent decorate chariot drawn by the white horses, blew their divine conch shells. (01;14).

Então, o Senhor Krishna, com Arjuna, em sua carruagem ornamentada e puxada por excelentes e cavalos brancos, fez soar a sua divina concha.(01:14)


Nosso corpo físico é a carruagem, os cinco cavalos os 5 chacras ( 5 elementos)  que devem ser conduzidos pelo Senhor Krishna para que nos possamos lutar bravamente como Arjuna .

Se entregarmos nossa vida `a Deus e á disciplina do Guru, com devoção e sinceridade , no exercício das técnicas , estudo das escrituras e boas companhias. 




Gurudev , nosso amado Paramahamsa Prajnãnãnanda Giri  ,disse que o nosso corpo é um instrumento musical, quando o ar passa pelos nadis e abrindo Shushumna.

 Se entregamos nossa vida á Krishna para que Ele segure ás rédeas na nossa existência e nos esforçamos para atingir a perfeição de Arjuna a  musica divina é tocada em nós em cada pensamento, sentimento, percepção, ação ou sentido através dos chacras alinhados com a fontanela.



Versos 15 e 16 :


pãncajanyam hrsikeso
devadattam dhananjayah
pundram dadhmau mahãsamkham
bhimakarmã vrkodarah

anantavijaya rajã
kuntiputro yudhisthirah
nakulah sahadevas ca
sughosamanipuspakau

Hrihikesha ( lord Krishna) blew the conch Panchajanya; Dhananjaya ( Arjuna) blew his conch called Devadatta; Vrikodara ( Bhima) of terrific deeds blew the conch called Paundra.(15)
King Yudhishthira,the son of Kunti blew the conch name Anantavijaya;Nakula blew the conch Manipushpaka. (16)

Hrishikesha (Lord Krishna) explodiu a concha panchajanya ; Dhananjaya (Arjuna) soprou suas concha chamada Devadatta; Vrikodara (Bhima) de ações terrificas soprou o búzio chamado Paundra (15).

Rei Yudhisthira, filho de Kunti soprou a concha de nome Anantavijaya; Nakula soprou o búzio Manipushpaka. (16)




Os cinco irmãos Pandavas e Drupadhi sua esposa

Durante a batalha de Kurushetra além da orientação e atenção pessoal Krishna, que guiou seu carro Arjuna teve a Ajuda de Hanuman


Yudhisthira segurou-o pelas mãos e disse: "O descendente de Bharata, As quatro divisões da ciência dos braços são ocupados por Bhishma, Drona, Kripa, Kama e Ashvatthama. Eles receberam instruções divinas e saber como usar cada tipo de arma. Tendo sido honrado, gratificado e apoiada por Duryodhana, Eles sempre procuram fazer o bem. Não devemos duvidar que eles irão apoiá-lo na batalha. O mundo inteiro está agora sob Duryodhana's balançar, e ele é nosso inimigo declarado. Você é o nosso único refúgio.

Ele disse que ele deveria deixar o mais rapidamente possível o Himalaia e, meditando  os mantras , ele deveria procurar  ouvir Deus, a fim de receber as armas. "Permita-me iniciar você hoje, ó um virtuoso,  controla sua mente e dos sentidos  Eu estou certo Indra vai dar-lhe as suas armas"

Yudhisthira concedeu o Pratismriti mantra  para Arjuna certo de recuperar o nosso reino de Duryodhana.

Ao atingir um platô no alto da montanha viu um asceta sentado ao pé de uma árvore.
O asceta disse, "oh criança, quem é você? Você parece ser um kshatriya. Vocês não sabem que esta é a morada dos brâmanes pacíficos que estão livres da raiva? Mesmo que tenham sido capazes de chegar a este ponto indica que você já atingiu um elevado estado de pureza. Agora perfeita sua vida. Você não precisa de armas aqui. Jogue-as fora. "

Arjuna claro que ele não tinha planos de renunciar a suas armas. "Tenho minhas armas para servir ao meu irmão mais velho Yudhisthira que tenha sido indevidamente privado seu reino. O brâmane, não vou lançá-los de lado. "

Vendo a dedicação de Arjuna ao dever, o asceta respondeu, "O caçador de inimigos, congratulo-me com você. Sabe-me a ser Shakra (um nome de Indra), rei dos deuses. Dê-me sua bênção ".

Arjuna foi muito feliz. Aqui foi Indra! Com as mãos postas, ele disse: "Ó exaltado , a benção que eu desejo é que você confira todas as suas armas em cima de mim."

Indra sorriu. "O Dhananjaya, Posso conceder-lhe a vida nas regiões celestes de felicidade. Peça para isso. Por que você deseja apenas minhas armas? "Como eu poderia incorrer em condenação do mundo por não vingar-me sobre o inimigo e abandonando os meus irmãos na floresta?"

 Arjuna se lembrava da traição de Duryodhana e sentia raiva.

Indra falou suavemente. "O filho, quando você se encontrar com Shiva, Eu lhe darei todas as minhas armas. pois ele é o maior dos deuses. Ao ver com os três olhos portador do tridente, todos os seus desejos serão cumpridos.

Arjuna  : Filho de Indra  Deus do Céu , Cujo nome significa "brilhante", "Shining", "branco" ou "prata"  Foi um arqueiro inigualável muitas vezes referido como Jishnu - o invencível. O terceiro dos cinco Pandava  Arjuna  um dos filhos de Kunti, A primeira esposa do Pandu. Arjuna é considerado um encarnação de Nara, O irmão mais novo de Narayana.Ele é muitas vezes referido como o "quarto Krishna" do Mahabharata.O devoto querido e amigo e irmão-em-lei do Senhor Krishna  no Bhagavad Gita.

O Rei Yudhisthira  o filho de Dharma:

Na passagem através do quatro ashrams, Ou as fases da vida, viz. Brahmacharya, Grihastha, Vaanprastha, Sanyaasa, Uma pessoa procura também cumprir os quatro elementos essenciais (purusartha) Do Kama (prazeres sensuais), Artha (ganho mundano), Dharma e Moksha (libertação de reencarnação ou renascimento).
 Moksha, embora seja o objetivo final, é enfatizado mais nos últimos dois estágios da vida, enquanto Artha e Kama são considerados primários somente durante Grihastha. Dharma, no entanto, é essencial em todas as quatro fases. Como  objetivo (ser humano), Dharma também pode ser considerada  uma lente através da qual os seres humanos planejam e executam suas interações com o mundo. Através da lente do Dharma, a pessoa se concentra em fazer o que é certo e evitar o que está errado, enquanto que a perspectiva Kama concentra em fazer o que é agradável (em muitos sentidos, não só sexo) e evitar a dor, e Perspectivas Artha centra-se em fazer o que é rentáveis (em muitos sentidos, não apenas de dinheiro) e evitando a perda.
" Em verdade, o que é Dharma é a verdade.
Por isso, eles dizem que de um homem que fala a verdade: "Ele fala do Dharma",
ou de um homem que fala do Dharma ", ele fala a verdade."
Na verdade, essas duas coisas são as mesmas".

(BRH. Upanishad, 1.4.14) (2)

No Mahabharata, Krishna Dharma define como:

"ity dharma Dhaaranaad aahur dharmena vidhrtaah prajaah, Yat sanyuktam dhaarana syaad sa iti nishchayah Dharma"

 "Dharma defende tanto os assuntos deste mundo e do outro mundo" (MBH 12.110.11).


Seres que vivem em conformidade com o Dharma avançam mais rapidamente em direção a yukam dharma, moksha ou nirvana ( libertação pessoal). O antónimo de dharma é adharma significado natural ou imoral.

 Bhima o filho de Vayu O vento de Deus  ( Energia vital respiração através dos 5 elementos 5 chacras  )


Hanuman , Bhima e  Kriyapranayama

Como a palavra para ar, (Vayu) ou vento (Pavana) é um dos Panchamahābhuta ou cinco grandes elementos. O Sânscrito palavra "Vata" significa literalmente "soprado", E" Prana "respiração"(A saber, o sopro da vida, ). Assim, a referência primária  da palavra é a divindade da Vida  ou Energia vital, que é, por vezes, para maior clareza referido como" mukhya-Vayu "(vayu chefe) ou" mukhya Prana "(o chefe da Vida).

Entre os Pandava Arjuna e Bhima foram mais proeminentes e valentes na natureza. 


 E ambos ficaram irritados e muito e furiosos aguardando a a guerra. 

Eles não tinham confiança em sua força e habilidades. A força de  Bhima era controlada por seu irmão vayu puthra Hanuman. 

Bhima certa vez vagando em uma floresta, encontrou um velho macaco a descansar debaixo de uma árvore com sua cauda colocada no caminho de Bhima. Bhima com voz rouca "Hei macaco velho, tire sua cauda para o lado !". O macaco lentamente se virou para ele e falou: estou muito velho como você pode ver, cansado e disse gentilmente se não  não se importava  de passar ao  lado ou ignorar a passagem!
Bhima em sua vaidade tentou mover a cauda usando seu pé esquerdo e sua mão direita  suavemente . Bhima tentou novamente com força, nada aconteceu. 
Ele ficou atordoado tentou com a mão esquerda, seguido por pé direito e com sua força total. Força Bhima é equivalente a 1000 elefantes. Ele não conseguia mover nem um pouco. O Egoísmo e orgulho de Bhima derreteu e ele se prostrou perante o "macaco" admitindo seu orgulho excessivo e pediu para ele revelar  a sua identidade. 
Hanuman sentou-se lentamente e revelou sua identidade e Bhima e ele  sentiu o  poder místico e força crescente. Com as bênçãos de seu irmão, Bhima ganhou bravura.
O controle da respiração, através dos ciclos de Kriyapranayama é fundamental para manter a mente tranquila sempre

Submeter o ego à divindade e aniquilar  o orgulho e a arrogância nos permite encontrar a  nossa  maior força no caminho da auto realização em Deus.

Durante a batalha, ele matou o elefante Ashvatthama, o que permitiu os Pandavas  espalharem a mentira de que Ashvatthama, Filho de Drona, Tinha sido morto. No final da batalha, ele também feriu Duryodhana em um duelo, depois de acertar um golpe abaixo da cintura.
Neste momento, Bhima ( Balarama) foi criticado pelo golpe sujo, mas foi acalmado por Krishna.
Bhima absteve-se de matar qualquer ancião respeitável no lado do Kauravas por respeito a sua virtude. A única pessoa que ele matou idoso era o rei de Bahlika (Bhishma tio paterno) - e ele faz isso porque o rei de Bahlika pediu a Bhima para matá-lo para liberá-lo do pecado de lutar pelos Kauravas (Bahlika teve que lutar com o Kauravas por conta de Bhishma, seu sobrinho).
A pratica das técnicas de KriyaYoga sem o desenvolvimento das virtudes, a disciplina e o respeito aos Mestres e Acharyas não promove a evolução espiritual e os resultados esperados na nossa batalha do cotidiano.

Ele terminou seus dias com seus irmãos e Draupadi, em sua grande jornada e última em direção a Paraíso. Ele foi  o último a morrer na viagem, deixando Yudhisthira sozinho para completar a viagem por conta própria.
Quando deixamos de respirar e o coração para abandonamos nosso corpo físico  ou estarmos em Nirvakalpa Samadhi ou estamos mortos.
jai gurudev

No comments:

Post a Comment